M. Castells – A Galáxia Internet

No livro “A Galáxia Internet” Castells (2004) faz referência à questão da utilização da Internet e interacções sociais, considerando o tema controverso e o debate em volta dele estéril pelas seguintes razões:

– os estudos que alimentam os debates são, em geral, anteriores à difusão generalizada da Internet;

– não existe ainda um corpo de investigação empírica apreciável;

– as questões de investigação têm uma natureza “demasiado simplista” tendo por base uma oposição ideológica entre a “harmoniosa comunidade local de um passado idealizado e a alienada existência do solitário internauta”.

– “a actividade social, em toda a sua diversidade, apropriou-se da Internet” e “a Internet é uma extensão da vida tal como ela é, em todas as suas dimensões e modalidades” (p.147). E, “a interacção social na rede não parece ter, na generalidade, um efeito directo sobre a configuração da vida quotidiana, para além de acrescentar a interacção on-line às relações sociais previamente existentes”

Referindo-se ao estudo de Kraut et al. (1998) como “o célebre estudo sobre Pittsburg”, Castells refere “ter grande importância o facto das famílias estudadas estarem a utilizar a Internet pela primeira vez” acrescentando que dados de um estudo de 1996 mostram que “os utilizadores novatos da Internet tendem a experimentar um grau elevado de frustração perante um meio que não dominam e que os obriga a um esforço grande para conseguir quebrar hábitos” (p.153) o que pode provocar um sentimento de sobrecarga, stress e desencanto nas suas vidas em maior grau que os não utilizadores.

Para Castells, o novo modelo de sociabilidade nas nossas sociedades caracteriza-se pelo individualismo em rede para o qual a internet contribui. As redes online podem construir comunidades virtuais diferentes das comunidades físicas mas não necessariamente menos intensas ou menos eficazes em unir e mobilizar.

O que se observa é o desenvolvimento de um híbrido de comunicação no qual se juntam o lugar físico e o ciberlugar actuando como suporte material do individualismo em rede. Em alguns casos estas redes on-line convertem-se em formas de “comunidades especializadas”, formas de sociabilidade construídas em torno de interesses específicos.

Em conclusão o autor refere que:

– o conjunto de dados disponíveis não sustenta a tese de que a utilização da Internet conduz a uma menor interacção e a um maior isolamento social;
– existem indícios de que, em determinadas circunstâncias, o uso da Internet pode actuar como substituto de outras actividades sociais.

Como os estudos que apoiam estas teses aconteceram em diversos momentos, em diferentes contextos e em etapas distintas da difusão da Internet é difícil chegar a uma conclusão definitiva sobre os efeitos que a rede pode ter sobre o grau de sociabilidade.
Propõe que “o estudo da sociabilidade em/com/sobre a Internet ” (p. 155) bem como os efeitos específicos deste novo meio tecnológico se incluam na evolução geral dos modelos de interacção social.

Para saber mais (actualizado a 12/01/2008):

Site de produção científica de Manuel Castells – http://www.manuelcastells.info/en/
Na Wikipedia – http://pt.wikipedia.org/wiki/Manuel_Castells

%d bloggers like this: