Kraut et al. 2004

  Em The Internet and social participation: Contrasting cross-sectional and longitudinal analyses, um artigo publicado em 2004 pelo mesmo grupo de investigação, os autores (Kraut et al.) procuram:

(i) trazer dados mais recentes para a investigação sobre a influência da Internet na mudança do nível de participação social das pessoas;

(ii) ilustrar como o design de investigação na forma de estudos comparativos ou estudos longitudinais pode influenciar as conclusões que se obtêm sobre os efeitos da utilização da Internet.

Afirmam que:

– Existe uma grande controvérsia na investigação sobre se utilização da Internet aumenta ou diminui a participação social dos indivíduos e sobre os benefícios psicológicos e para a saúde que as pessoas recebem dessa participação; 

 – Alguns estudos consideram que a facilidade de comunicação na Internet pode encorajar as pessoas a passar mais tempo sozinhas ou comunicando online com estranhos, criando relacionamentos superficiais e prejudicando formas de estar mais profundas com a família e os amigos; 

 – Outros, pelo contrário, argumentam que a utilização da Internet tem efeitos importantes e positivos nos indivíduos, nos grupos e organizações, nas comunidades e na sociedade em geral.

Num estudo de Robinson, Kestnbaum, Neustadtl &Alvarez (2000) argumenta-se que os utilizadores da Internet passam mais tempo a comunicar com a família e os amigos cara a cara e por telefone do que os não utilizadores, mas gastam menos tempo a ver televisão e a dormir. 

Os argumentos positivos ou negativos baseiam-se em dados obtidos com investigações comparativas entre indivíduos com acesso à Internet e os que não o têm, utilizadores frequentes e “de peso” com utilizadores light e utilizadores experientes com não experientes.
É sabido que os utilizadores da Internet diferem dos não utilizadores, em termos de características demográficas, atitudes e valores.
Os utilizadores são, em geral, mais jovens, mais instruídos e mais ricos.

Por outro lado, em termos metodológicos:  

 – Os estudos longitudinais mostram que uma grande utilização da Internet está associada a uma diminuição da probabilidade de efectuar visitas a familiares ou amigos; 

 – Os estudos comparativos mostram correlações elevadas entre a frequência com que os respondentes comunicam com membros da família por visitas, telefone ou email, sugerindo que a comunicação por um meio estimula os outros;

Em conclusão:
– Os investigadores sugerem que os estudos comparativos locais ou regionais desenhados com o objectivo de avaliar os impactos da utilização da Internet devem ser olhados com cuidado e alargados ou substituídos por estudo longitudinais.

Anúncios
%d bloggers like this: